domingo, 29 de abril de 2012

As idades do amor

" Manuale D´am3re", de Giovani Veronesi (2011)
Terceiro filme de uma série que leva o tema do amor misturado aos gêneros comédia, drama e romance. Nesse filme, temos 3 episódios, cada um centrado em uma fase da vida do ser humano: juventude, idade adulta e terceira idade. No 1o episódio, o jovem advogado Roberto (Riccardo Scamarcio)está perdidamente apaixonado pela sua namorada e lhe proõe casamento. Mas ela teme perder a liberdade, e pede um tempo. Nesse interim, ele é enviado até Toscana, para negociar a venda de uma casa de idosos, e lá, conhece uma jovem, por quem ele se apaixona. No 2o episódio, o jornalista e âncora de tv Fabio ( Carlo Verdone) conhece uma psiquiatra, com quem mantém relação, até descobrir a verdadeira identidade da mulher, que vira sua vida de cabeça pra baixo. No 3o episódio, Adrian (Robert de Niro) é um professor de história que se mudou pra Roma. Ele mora em um prédio e é amigo de Augusto, zelador do prédio. Um dia, a filha de Augusto, Viola (Monica bellucci) chega de Paris para vistar o pai, e Adrian fica apaixonado por ela. O pai acredita que Viola é modelo, mas descobre que na verdade ela é stripper. Ele se revolta, e Viola pede ajuda a Adrian, que a esconde em sua casa. Divertida comédia romântica, daquele jeito que somente os italianos sabem fazer: muita música romântica, narrativa cafona e romantismo brega. Ri bastante em váris cenas, principalmente no 2o episódio, e a vantagem do filme é ter um ótimo elenco homogêneo. Robert de Niro está bem, diferente daquelas caras e bocas que o tem caracterizado nos últimos filmes. Bellucci cumpre seu papel de mulher estonteante, apesar de já não ser a diva de antes. Riccardo Scamarcio é um galã italiano que brilhou na comédia " O primeiro que disse", e que aqui, empresta sua beleza ao personagem. A cena em que De Niro faz um streap tease para Viola é antológica. O crítico do Globo detonou o filme, botando o bonequinho pra fora da sala. Uma injustiça. é um filme leve e descompromissado. Nota: 7

sábado, 28 de abril de 2012

Isto não é um filme

" In film nist", de Jafar Panahi e Mojtaba Mirtahmasb (2010)
Documentário que registra 1 dia na vida do cineasta iraniano Jafar Panahi, durante a sua prisão domicilar, decretada pelo Governo, depois de Panahi ter feito campanha contra o presidente Iraniano. Durante a realização desse filme, Panahi estava em seu grande apartamento, mas logo em seguida, saiu a sentença, que o condenou a 6 anos de prisão e a ficar 20 anos sem poder realizar filmes. A narrativa do filme é bem solta, se baseando em camera amadora registrando 1 dia na vida do cineasta em seu apartamento. Panahi convidou um documentarista para registrar o seu cotidiano, enquanto fica ao celular falando com Advogados e companheiros. O curioso é mostrar que Panahi tem um nível de vida bem alto, comparado a seus conterrâneos. Panahi tem Iphone, Macbook, um apartamento enorme com móveis de design. O interesse pelo filme é mais pela reflexão que ele provoca no espectador, do que pelo filme em si, que é bem amador. Ver Panahi enclausurado, sem poder sair pra rua, é algo impressionante. O filme tem trechos muito interessantes, principalmente quando ele mostra um acena de seu filme, " O espelho", cuja atriz mirim abandonou a filmagem porque não queria mais participar do mundo de faz de conta. Outro momento memorável é quando Panahi resolve ler trechos do seu roteiro censurado pelo Governo iraniano, propondo ao especador imaginar as imagens. O filme é desconexo, lento, a pode incomodar muita gente. Na sessão que eu fui do Cine Joia, muita gente saiu do cinema. Nota: 7

quarta-feira, 25 de abril de 2012

terça-feira, 24 de abril de 2012

Me excita, porra!

"Turn me on, Dammit- Fa meg pa, for faen", de Jannicke Systad Jacobsen (2011)
Na cidade de Skoddeheimen, Noruega, vive Alma, uma jovem de 15 anos. Alma mora com sua mãe, e tem duas amigas que estudam no mesmo colégio. As amigas odeiam a cidade onde vivem, por ser pacata demais e nada acontece. O sonho de Alma é morar na capital Oslo. ALma nutre um desejo ardente por Artur, um garoto da escola. Os hormônios da menina estão a mil, e tudo para ela remete a sexo. Durante uma festa, Artur se aproxima de Alma e a cutuca com o seu pênis. Alma comenta com as amigas e ninguém acredita. O próprio Artur desmente o fato. A partir daí,a popularidade de Alma vai a zero, se tornando impopular por onde anda. Divertido drama com tintas cômicas, sobre a decsoberta da sexualidade. O fato de ser um filme Norueguês dá um sabor diferente. Apesar dos temas serem semelhantes a qualquer comédia americana, que fala sobre descoberta do sexo, amizade, relação familiar, sonhos, aqui difere por ser mais realista e não temer a exposição, sem ser um conto de fadas. Inclusive, na cena de Artur, ele realmente ota o pau pra fora. Os jovens atores são bonitos, porém sem muito talento. Mas como o filme fala sobre imaturidade, o fato das atuações não serem especiais em nada atrapalha. A fotografia é muito bonita, idem a trilha sonora. Vale uma conferida, mesmo que por curiosidade. Nota: 7

domingo, 22 de abril de 2012

Um verão escaldante

" Un ete brulant- That summer", de Philipe Garrel (2011)
Frederic (Louis Garrel) e Paul (Jerome Robart) são melhores amigos. Frederic é pintor, e está casado coma atriz italiana Angela (Monica Belluci); Paul por sua vez, é um jovem que sonha em ser ator, mas somente consegue papéis pequenos em filmes. Numa filmagem, conhece Elisabeth (Celine Salette), também atriz de pequenos papéis. Frederic se muda para Roma, junto de Angela. Paul e Elisabeth acabam indo passar um tempo na casa de Frederic, a convite dele. A convivência dos 4 fará com que muitos medos e frustrações venham á tona, revelando a fragilidade da vida de cada um. Philipe Garrel mais uma vez trabalha com seu filho Louis Garrel, que por sua vez, encarna pela milésima o papel do jovem destruído emocionalmente, sempre com o mesmo visual descabelado. Monica Belucci mostra sinais da idade, mas consegue conferir dignidade no seu papel estereotipado da diva italiana. Celine salette é quem possui o personagem mais interessante, e já havia visto um outro papel dela em um filme recente, " L´apolonide". Ela é uma atriz vigorosa, magérrima e de enormes olhos. O filme é bem tedioso, normal para os filmes de Philipe Garrel. Mas o excesso de romantismo parece datado, e tanto ciúme e amor sofrido cansa. Existe porém, uma bela cena, quase que em plano-sequência, de Monica Belucci dançando em uma festa. Muito boa. Nota: 6

sábado, 21 de abril de 2012

sexta-feira, 20 de abril de 2012

terça-feira, 17 de abril de 2012

Quem se importa

de Mara Mourão (2012)
Documentário que discorre sobre uma nova função chamada de " empreendedorismo social". ou seja, empresas e ou pessoas que se dispõe a querer ajudar ao próximo, visando um mundo melhor e menos individualista. A diretora Mara Mourão viajou para diversos países, e entrevistou pessoas que se destacaram socialmente e culturalmente, e que fizeram de sua empresa ( no Brasil, diríamos Ong)um exemplo de humanismo e de bem estar social. Aqui no Brasil, Mara destaca a ação do grupo " Doutores da alegria", atores que se vestem de palhaços com a finalidade de alegrar crianças com cancer. Em outros países, como Estados Unidos, vemos pessoas que são até vistas como lunáticos por amigos e parentes, mas que lutaram para mostrar ao mundo que sim, vale apena lutar pelo ser humano. O documentário tem uma bela trilha sonora, ótimos entrevistados e uma bem-bolada animação que percorre o filme. Mas é longo, e um corte de meia hora teria feito melhor ao projeto. São tantos os depoimentos que acaba cansando o espectador. De qualquer forma, a intenção do projeto super vale a pena. Nota: 7

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Operação invasão

" The Raid- Redemption" "Serbuan maut", de Gareth Evans (2011)
Em Jacarta, capital da Indonésia, Rama, um policial do esquadrào de elite, se junta a outros 19 policias, com a missao de tomar de assalto um prédio na periferia, considerado um antro de assassinos, bandidos e traficantes. Tama e; o traficante responsável pelo pre;dio, e assim que ele descobre que o local está sendo invadido, faz uma chamada interna no prédio para que todos os criminosos unam forças para exterminar a polícia. Rama tstemunha a morte de boa parte de seus companheiros, e procura salvar a sua vida e de seus companheiros. Para a sua desilusáo, descobre que ninguém da base da polícia sabe da existencia da batida policial. Isolados, Rama e seus amigos precisam descobrir uma forma de sair do local. Para sua surpresa, Rama descobre que o seu irmao Andi e; um dos bandidos, e que tentará salvar o irmáo da morte. Excelente exercício de filme de açao, brilhantemente coreografado como um filme de artes marciais. Os efeitos sáo ótimos, a direçáo segura e os atores com umas performances de tirar o fõlego. Porém, o que o filme tem de menos interessante sáo os diálogos , pobres. O filme quase náo tem diálogo, aliás. Muita porradaria, que faz com que "Oldboy"seja uma brincadeira crianca. Impressionante as cenas de luta, o que fez com que muita gente considerasse esse um dos melhores filmes de açáo em anos. Existe um projeto americano de refilmar a história, o que posso pensar é que dificilmente a versáo americana alcançará o nível de excelëncia e violëncia propostos aqui. Nota: 8

domingo, 15 de abril de 2012

Não haverá paz para os malvados

" No habra paz para los malvados", de Enrique Urbizu (2011)
Em 2004, em Madri, um policial passa a noite bebendo. De temperamento explosivo, ele sai de bar em bar em busca de bebdia, até chegar a um estabelecimento que está para fechar. mediante a recusa do funcionário em lhe servir mais bebidas, Santos Trinidad (José Coronado) , em uma explosão de ira, mata 3 pessoas no local: a garçonete, o dono e o funcionário. Porém, Santos percebe que havia alguém assistindo os crimes, e ao localizá-lo, a testemunha comsegue fugir. Santos passa então a perseguir a testemunha, sem se dar conta de que, na verdade, ele se verá envolvido em um caso de terrorismo islâmico. Ótimo drama policial, com viradas de roteiro surpreendentes. O filme foi o grande vencedor do Prêmio Goya em 2011, tirando " A pele que habito" do favoritismo. Venceu melhor filme, direção, ator , roteiro, e outros prêmios técnicos. José Coronado confere dignidade e um talento impressionante no papel de um policial ambíguo. Curioso é que o espectador começa odiando o personagem, e na virada da história, ele se transforma em herói. Uma grande saada do roteiro, que mesmo assim, perde tempo com sub-plots que alongam demais a história, e fazendo cair o ritmo várias vezes. O prólogo, na cena do bar, é brilhante. Uma cena tensa e bem construída. O filme se baseia num fato real, o atentado em Madri de 2004. Nota: 7

À toda prova

" Haywire", de Steven Soderbergh (2011)
Mallory Kane (Gina Carano) é uma agente especial de uma organizaçáo de espionagem. Ela é convocada para libertar um refém em Barcelona, e a ela se junta Aaron ( Channing Tatum). Após a bem-sucedida operaçáo, ela retorna para a casa,. nos Eua, para reencontrar o seu pai, John Kane (Bill Paxton), um escritor de livros sobre guerras civis. O seu ex-namorado e diretor da agência no qual ela trabalha, Kenneth (Ewan Macgregor) pede para que Mallory faça um serviço rápido em Londres: acompanhar um agente británico, Paul (Michael Fassbender), fingindo ser a sua esposa. O que ela náo percebe é que está sendo manipulada por Rodrigo (Antonio Banderas)e por Studer (Mathieu Kassovitz), que têm seus interesses políticos na operação. O agente do Governo americano, Coblenz (Michael Douglas) tenta entender toda a armação e ajudar Mallory. Ótimo filme de ação dirigido por Soderbergh, que aqui quiz fazer um filme atípico: Soderbergh faz críticas aos atuais tipos de filmes no Gênero, Nota: 8

sábado, 14 de abril de 2012

The loved ones

de Sean Byrne (2009)
] Brent é um jovem atormentado pela culpa de ter provocado um acidente de carro que matou o seu pai. desde então, ele tem se mostrado com um caráter auto-destrutivo. A sua mãe também carrega essa sina. No colégio, Brent namora Holly, porém tem uma admiradora secreta, Lola. Um dia, quando Brent escala uma montanha para poder se isolar e escutar música, ele é nocauteado. Quando acorda, se descobre em uma casa, pertencente a Lola e seu pai. Eles torturam Brent de todas as formas possíveis, promovendo uma festa de formatura particular. Enquanto isso, Holly tenta decsobrir o paradeiro do namorado. Interessante filme de suspense australiano, que mistura terror explícito a uma comédia de humor negro. O pai de Lola tem um perfil semelhante a um Normam Bates ensandecido. A atriz que interpreta Lola, Robin Macleavy, está ótima no seu difícil papel de louca maníaca. Xavier Samuel, que interpreta Brent, também está impagável. A primeira parte do filme é arrastada, mas a partir do meio, o filme vai enlouquecendo, ficando estranho, bizarro. O sub-plot do amigo de Brent e de uma namorada emo não funciona. Nota: 6

sexta-feira, 13 de abril de 2012

As neves de Kilimanjaro

" Les neiges du Kilimandjaro", de Robert Guediguian (2011)
Michel (Jean Pierre Darrousin) é um líder sindical em Marselha, e casado com Maria Claire (Ariane Ascaride). Juntos, posssuem 2 filhos e 3 netos. Michel possui casa própria, apesar de pobres. Marie trabalha de empregada na cada de pessoas de terceira idade. Um dia, Michel precisa demitir 20 empregados da empresa, e como exemplo de sua dignidade, também se demite. Seus amigos e familiares se impressionam com sua atitude. Michel passa por dificuldades para arrumar outro emprego, por conta de sua idade. Os amigos resolvem fazer uma festa para homenagear os demitidos, e Michel acaba ganhando dinheiro e passagens, coletados pelos colegas. Emocionado, Michel agradece a todos e declara seu amor incondicional por sua esposa. Uma noite, enquanto joga baralho com sua esposa, cunhada e um amigo, ladrões invadem sua casa, procurando pelo dinheiro ganho. Os bandidos agem agressivamente, provocando sequelas na vida de todos. Michel descobre, porém, que um dos bandidos era um empregado demitido da empresa, e se sente culpado, acreditando ter sido ele o responsável por essa tragédia. Belíssimo filme de Guediguian, em muito semelhante aos filmes dos Irmãos Dardenne. O tema do humanismo, do perdçao, do arrependimento, do amor ao próximo, são uma constante nas obras de ambos os cineastas. Aqui, Guediguian exerce ao extremo seu amor ao ser humano e na luta para fazer da vida, apesar de tantos obstáculos, algo com um sentido, com vigor. Preservar a amizade, os bons costumes, o ato do perdão. Com um elenco primoroso, sem distinção, Guediguian comprova a sua força em dirigir atores, Sua esposa e atriz-fetiche Ariane Ascaride está fantástica, e Jean Pierre se mostra um dos melhores atores franceses da atualidade. Apesar de tanta barra-pesaa, o filme procura aliviar a tensão sempre com diálogos bem-humorados. O roteiro se inspirou livremente no livro " Os miseráveis", de Victor Hugo. Nota: 9

Roubo nas alturas

" Tower Heist", de Brett Rattner (2012)
Comentários em breve Nota: 6

domingo, 8 de abril de 2012

American pie - O reencontro

" American reunion", de Jon Hurwitz e Hayden Schlossberg" (2012) Comentários em breve Nota:

sábado, 7 de abril de 2012

Intrusos

" Intruders", de Juan Carlos Fresnadillo (2011) Na Espanha, um menino tem uma série de pesadelos com a figura de um homem sem rosto, que pela crendice, vem buscar o rosto de uma criança para roubar e colocar em si mesmo. A mãe leva o menino até o Padre Antonio (Daniel Bhrul) para tentar entender o que se passa. Paralelo, em Londres, um engenheiro, John (Clive Owen), tem uma filha de 12 anos que descobre no tronco de uma árvore uma caixinha com um bilhete esquecido por lá. Ela guarda esse bilhete e o lê, e desde então, ela também tem sonhos recorrentes com o Homem sem rosto. John tenta ajudá-la a se livrar desses pesadelos, ao mesmo tempo que todos acham que John está ficando louco. Adoro filmes de terror e suspense espanhóis, mas esse aqui infelizmente provoca apenas um mínimo clima de suspense. O roteiro é óbvio, e fica evidente o desfecho e a surpresa. Os sustos são bobos, a história é mirabolante demais. Não entrei no clima do fiilme, e o vilão da história não é assustador, al´me de não provocar pavor real. Clive Owen está apático, e Daniel Bhrul é um desperdício , seu personagem não tem importância alguma, e ouvir Bhrul façando em espanhol é bem estranho. O filme lembra de certa forma os suspenses " O orfanato" e " Candyman". Mas esses dois são bem superiores.
Nota: 5

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Espelho espelho meu

" Mirror mirror", de Tarsem Singh (2012)
Nem vou perder muito tempo falando sobre essa versão de " Branca de neve". Não gostei, a mão pesada e carnavalesca de Tarsem Singh não fez bem ao filme. As piadas são frouxas e toscas, não agradando,a meu ver, nem a adultos nem crianças. Algumas piadas são tão bobas que fico com pena dos atores. Por ex, a cena que o príncipe encarnado por Armie Hemmer leva socos e pontapés dos anões, para quebrar o feitiço, é de uma tristeza inenarrável. O lance também dos anões terem pernas gigantes que os fazem pular de um lado para outro é estranhíssimo. O filme é feio, fotografia ruim, decor pavoroso. Se salvam do desastre Julia Roberts e Nathan Lane, que brilham nos momentos em que aparecem, mesmo que com textos tão pobres. Nota: 4

terça-feira, 3 de abril de 2012

Xingu

de Cao Hamburguer (2012)
Nos anos 40, três irmãos, Orlando (Felipe Carmargo), Claudio (João Miguel) e Leonardo Villas boas (Caio Blat) , moradores da Grande cidade, resolvem se aventurar numa expodição promovida pelo Governo, chamada de Roncador-Xingu, com a missão de desbravar a Região Centro-Oeste brasileira. Aventureiros, os três partem para descobrir a vida selvagem. Acabam se envolvendo com a questão indígena, de posses de terra, e se aculturam, sendo abraçados pela população indígena. Porém, paralelo a essa conquista, temos o Governo, que quer tomar posse das terras dos índios, a questão da rivalidade entre diversas tribos, a chegada da doença do homem branc, dizimando centenas de índios e a briga entre os três irmçaos, de interesses distintos. O filme culmina com a criação do Parque Xingú, uma reserva indígena que abrange atualmente mais de 50 ocas, contando com mais de 6 mil índios. Tecnicamente, um filme perfeito: fotografia, a cargo de Adriano Goldman, direção de arte, trilha sonora (linda), som. Os atores, em especial João Miguel, estão ótimos. A grande revelação são os índios, muitos deles, que nunca atuaram, se mostraram extremamente perfeitos. São fotogenicos, expressivos. Fica aqui a estranheza de ver Maria Flor fazendo uma figuração, pois ela aparece em várias cenas, sem ter uma única fala. Não sei se cortaram cenas dela na fase de montagem. Porém, a medida que o filme se desenvolve, ele vai perdendo emoção. A narrativa segue fria, lenta, e tudo soa muito didático e óbvio. Parece que a intenção dos produtores é de mostrar as belezas da regiao, a preocupação em preservar indios e floresta, porém, mada disso realmente é novidade. Poderiam ter aprofundado mais na relação dos 3 irmãos, essa sim, uma grande história. Porque pessoas comuns, moradoras da grande cidade, abandonaram trabalho, amigos, familia, para se aventurar em algo que decsonhecem. Isso no filme não existe. Fica apenas a boa intenção do projeto, uma mensagem obviamente válida, mas como dramaturgia, ficou devendo. Nota: 7

domingo, 1 de abril de 2012

Novela das oito


de Odilon Rocha (2012)

Comentários em breve

Em 1978, no auuge da novela " Dancin Day´s", que faz muito sucesso no horário das oito, Amanda (Vanessa Giácomo)é uma prostituta que mora sozinha em São Paulo com sua empregada, Dora (Claudia Ohana). Amanda é totalmente viciada na novela, e nunca agenda um cliente na hora que está sendo exibida. Uma noite, Amanda atende um cliente, mas Dora, ao vê-lo, começa a passar mal. Ela passa a ter lembranças da época de guerrilheira. Dora foi presa e obrigada a abandonar o filho, Caio (Paulo Lontra). Dora resolve se vingar do seu algoz e o envenena. Assustada, Amanda foge para o Rio com Dora. Assim que chegam, Amanda fica fascinada pela cidade, e seu sonho é conhecer a boite " Frenética Dancin Day´s". Dora, por sua vez, resolve rever às escondidas o seu filho Ccaio, aos cuidados de sua mãe (Camila Amado). Paralelo, temos a história de um diplomata(Matheus Solano), que se descobre gay e tem um caso com Caio. Um policial (Alexandre Nero) descobre que Dora está na cidade e resolve ir em seu encalço. Drama com doses de humor, " Novela das oito" foi premiado como melhor roteiro no Festival do Rio de 2011. E é esse um de seus principais problemas: o roteiro. Risível do início ao fim, o texto e os diálogos são pobres, toscos, recheado de frases feitas. Não dá para entender essa premiação. O elenco não está bem, todos estereotipados. Vanessa Giácomo nao tem o phisique de role de Amanda, que deveria ser uma mulher realmente deslumbrante e fogosa. Claudia Ohana se esforça, mas o seu personagem não ajuda nem um pouco. A cena dela dominando o seu algoz e o matando com um salto alto é das coisas mais esdrúxulas,e ao mesmo tempo, hilárias, que já vi. Mateus Solano não diiz ao que veio, e de novo, o personagem é muito mal construído, a questão da homossexualidade surge do nada e é muuto mal explorada. Paulo Lontra é péssimo, e não dá para entender a sua escalação. Uma pena, porquê o argumento do filme é interessante, discutir alienação e guerrilha parecia ser algo explosivo. A fotografia é ruim, a trilha sonora é um dos poucos pontos altos, mas também fica facil, é só rechear com hits da era Disco. Acabou que o filme, para mim, se tornou num clássico da comédia involuntária, e sim, eu vou comprar o dvd e guardar essa verdadeira pérola do cinema, que fará ótima companhia na prateleira, junto de " Cinderela baiana", " Federal" e " Segurança nacional". Nota: 5

Sujos e sábios


" Filth and wisdom", de Madonna (2008)

Comentários em breve

Nota: